Sistema de som ambiente: guia para fazer as escolhas certas

Quer investir em um sistema de som ambiente residencial potente? Saiba o que levar em conta na hora de escolher equipamentos e como distribuir as caixas de som em nosso guia para ter o projeto de som ambiente ideal!
Sistema de som ambiente: guia para fazer as escolhas certas
Kosten-haus , 02/06/2021

Hoje em dia, passamos cada vez mais tempo dentro de nossas casas, e nossos lares têm se tornado refúgios tanto para momentos de relaxamento quanto de lazer e diversão.

Desde cozinhar o jantar curtindo um som tranquilo até ver um filme com som de cinema ou ouvir uma música alto-astral em um churrasco em família, a sonorização participa das nossas vidas de uma forma cada vez mais significativa.

É por isso que muitas pessoas têm procurado um sistema de som ambiente de qualidade.

De fato, vale muito a pena. No entanto, ter um som ambiente não é tão simples quanto procurar a melhor marca de amplificador, ou saber escolher uma caixa de som potente.

Se quiser aproveitar ao máximo essa experiência, é necessário levar em conta vários fatores e montar o melhor projeto de som residencial para sua casa.

Confira no guia abaixo o que é som residencial, o que considerar para um projeto de som ambiente e como otimizar a sonorização com automação residencial:

 

O que é som ambiente residencial?

Som ambiente é qualquer som, incluindo música, tocado em caixas acústicas posicionadas estrategicamente para espalhar o áudio de forma uniforme em um ou mais ambientes.

Enquanto o som residencial é projetado para os ambientes de uma casa, como sala, quarto, piscina ou área gourmet, por exemplo, o som ambiente comercial é aquele projetado para lojas, restaurantes, universidades etc.

 

Como funciona um projeto de som residencial

Um bom projeto de som residencial leva em conta o gosto do cliente e a finalidade do som ambiente.

Com base nessas informações e na planta da casa, é possível fazer um projeto personalizado, ou seja, adequado às necessidades e desejos do cliente.

Veja abaixo os três principais passos para determinar um projeto de som residencial:

 

1º PASSO: O que você quer ouvir?

É muito importante saber o que você espera do seu som residencial – você quer um som tranquilo, para relaxar à noite, no quarto, antes de dormir? Ou você é do tipo que gosta de receber os amigos e fazer festa?

 

2º PASSO: Como e onde você quer ouvir?

O tipo de música ou conteúdo sonoro que você consome também importa. Quais timbres você prefere?

Por exemplo, certos estilos musicais pedem sons mais potentes, ou a presença de um subwoofer, uma caixa de som específica para sons graves.

Outra questão a ser ponderada são as zonas de som. Sonorizar um ambiente não é só colocar uma caixa em um determinado local; é considerar como esse ambiente é projetado e onde você quer que o som seja mais alto ou mais baixo.

Você pode criar duas zonas em um mesmo ambiente - digamos, em uma piscina com uma jacuzzi na ponta, pode ter um som mais potente na primeira área e um volume mais baixo na segunda.

Também pode ter uma área gourmet com duas zonas diferentes, sem briga entre quem está perto da TV e prefere ouvir a partida de futebol e quem está perto da piscina e quer curtir um som, por exemplo.

 

3º PASSO - Por onde você quer ouvir?

Chegamos enfim à solução, ou seja, a escolha do sistema em si e das melhores opções de caixas acústicas.

A determinação dos aparelhos e caixas vai depender de quantos (e quais) ambientes você deseja sonorizar.

Projetos comuns envolvem, por exemplo, a sonorização de dois ambientes, como sala com TV e home theater e área gourmet.

Geralmente, os ambientes são integrados, com caixas de som embutidas na parte interna e sobrepostas na parte externa. O som pode ter volume igual ou ser independente.

No caso do home theater, o posicionamento das caixas acústicas precisa atender normas para assegurar a melhor experiência. Já o receiver, o coração do sistema, pode ser usado somente para o home theater ou servir para expandir o som para a área externa, o que melhora o custo-benefício.

som ambiente home theater receiver

Vale observar, porém, que isso não é o ideal - o som para uma área gourmet, por exemplo, tem características diferentes das esperadas em uma imersão em um filme.

Além disso, o som para área gourmet é mais potente e constante. Se você usar o receiver em alta potência por longos períodos, pode acabar sobreaquecendo o aparelho. Se isso acontecer, ele pode desligar ou falhar completamente.

É por isso que a utilização de amplificadores de som ou centrais multirooms são muito mais aconselhadas.

Especialmente no caso da sonorização de mais de dois ambientes, a central multiroom pode valer a pena; trata-se de um sistema baseado em um único aparelho capaz de sonorizar de 2 a 24 zonas (ou ambientes) diferentes, utilizando um ou mais canais de áudio.

Com base em suas necessidades, você pode escolher quantas entradas e saídas de áudio deseja.

Por exemplo, você pode ter um multiroom com um canal de áudio (digamos, Spotify) e saída de áudio em até 6 zonas. Também pode ter uma combinação de multirooms, com mais entradas (como Spotify, TV e rádio) e quantas saídas a combinação permitir, sendo possível passar de 24.

 

Como montar um sistema de som ambiente

Os principais fatores a levar em conta são:

  1. quantos ambientes você quer sonorizar;
  2. o tamanho e a acústica desses ambientes, incluindo a disposição dos móveis, o que pode interferir na propagação de sons;
  3. a potência (qual o volume de som mínimo e máximo desejado);
  4. recursos multimídia e conectividade;
  5. quanto você está disposto a gastar pela qualidade do som.

Cada ambiente tem uma característica de som própria; uma sala com home theater é diferente de uma piscina ou uma área gourmet onde as pessoas fazem churrasco, por exemplo.

Enquanto não existem regras para a potência das caixas acústicas, no geral, em ambientes fechados, ela pode ser menor, enquanto em ambientes abertos precisa ser maior.

Fazer uma indicação generalizada é difícil, não só porque os melhores projetos são personalizados, mas também porque a qualidade de som das diferentes marcas de caixas acústicas existentes no mercado varia muito.

No entanto, recomenda-se um amplificador de som com potência mínima de 50 a 100 W para obter um bom som ambiente residencial - em ambientes fechados, 50W pode ser suficiente, enquanto ambientes abertos podem precisar de mais de 100W.

som ambiente area gourmet

Essa potência, por sua vez, pode ser distribuída entre duas ou quatro caixas de som de 25 W cada, por exemplo.

Tal configuração pode ser multiplicada conforme gosto e necessidade - digamos que sistemas mais potentes podem levar amplificadores de 120 a 480 W, distribuídos por 4 ou mais caixas.

O tamanho de cada cômodo a ser sonorizado também importa. Por exemplo, se o pé direito for alto, a caixa pode propagar som por mais espaço. Além disso, paredes de concreto tornam o som mais “vivo” que paredes de drywall, por exemplo.

Para ter uma noção de como distribuir o som ambiente, é possível considerar a colocação de uma caixa de som com potência de 15 a 30 W a cada 12m² a 25m², mas, devido a quantidade de fatores que podem interferir no som, conforme você pode observar acima, essa é só uma estimativa.

Quanto aos recursos esperados de um amplificador ou uma central, a entrada óptica é interessante, por facilitar a conectividade com equipamentos eletrônicos, enquanto o Wi-Fi permite a utilização de aplicativos de serviços de streaming, como Spotify.

Esse é um critério muito relevante - a conectividade dos amplificadores com Bluetooth, Airplay, aplicativos próprios e comandos por automação, por exemplo, é essencial para uma boa experiência sonora.

Por fim, as caixas de som escolhidas podem ser de embutir ou de sobrepor. Esteticamente, a caixa de som embutida no forro de gesso pode ser uma boa escolha, além de proteger os cabos e a infraestrutura de danos.

No que se trata de qualidade sonora, no entanto, elas perdem para as caixas do tipo BookShelf e Torre, acusticamente superiores. Por isso, as caixas de embutir são ideais apenas em situações nas quais não há espaço ou o orçamento é limitado.

É importante destacar que, para que o som se propague corretamente, é necessário investir também em cabos de qualidade.

Até existem aparelhos que funcionam sem fios, mas a qualidade do som é inferior enquanto os custos são muitas vezes superiores – a menos que você não tenha outra escolha, não é uma alternativa muito aconselhada.

 

Como escolher o melhor aparelho de som residencial

Sabemos quais fatores levar em conta para escolher um bom sistema de som ambiente, mas quais são os melhores amplificadores de som ou centrais multiroom do mercado?

Entre as marcas nacionais disponíveis, algumas das melhores opções são Savage, AAT e Loud. Já entre as importadas, Arcam, Lexicon e Revel possuem excelente qualidade.

É claro que a escolha irá impactar bastante no valor investido. Caixas de som com bom custo-benefício podem sair em torno de R$ 500 cada, enquanto caixas de R$ 700 podem trazer mais qualidade.

Se quiser apostar em produtos para o longo prazo, o gasto pode ser em torno de R$ 1.400 cada caixa, podendo ultrapassar os R$ 3.000.

No geral, o preço de um sistema de som ambiente com multiroom pode variar de R$ 15 a 30 mil para uma central equipada com aparelhos nacionais, até mais de R$ 60 mil no caso dos importados e de alto desempenho.

Caso você prefira uma linha com aparelhos high end, os amplificadores da Mark Levinson estão entre as melhores opções do mercado, mas possuem um custo consideravelmente mais alto, acima dos R$ 100 mil.  Um sistema Hi-Fi Stereo com diversos itens pode custar entre R$ 300 e 500 mil, por exemplo.

projeto de som ambiente caixas

 

Por que fazer um projeto personalizado de som ambiente

Ter som de qualidade em casa é muito mais do que comprar uma caixa de som de uma marca conhecida ou recomendada.

Entre decidir as entradas e saídas de áudio, selecionar as melhores opções de caixas acústicas, dimensioná-las, posicioná-las e instalá-las corretamente, são muitas etapas que exigem experiência e conhecimento técnico.

Por esse motivo, projetos padrão podem ficar muito ruins na sua casa. Além de não ter o resultado esperado, você pode acabar jogando dinheiro fora ao investir em caixas de som com mais ou menos potência do que precisa.

Para que a sonorização residencial seja de qualidade, o ideal é que especialistas cuidem do projeto da elaboração até a execução, para que não haja distorções nos sons ou problemas nos cabos, por exemplo.

 

Som ambiente automatizado

Muitas pessoas que procuram som ambiente também se interessam por automação residencial, uma vez que o som é um recurso que pode ser facilmente automatizado, o que muitas vezes torna a experiência ainda mais prática e prazerosa.

Um sistema de som personalizado aliado a um projeto de automação residencial, por exemplo, pode permitir a integração de diversos ambientes da casa, todos controlados à distância.

Entre as principais vantagens, a automação tornará mais fácil de configurar, ligar e desligar o sistema, uma vez que todas as caixas ficam conectadas e podem ser acessadas facilmente a partir de um controle universal, ou através de seu smartphone e de assistentes como a Alexa.

Você também pode ter configurações de som específicas para momentos diferentes, de filmes a esportes a jantares íntimos a churrascos animados.

Uma vez que o som ambiente é personalizado e projetado de acordo com as características de sua residência e suas necessidades, o resultado é garantido, não só em qualidade, mas em segurança e assistência técnica também.

Se estiver em dúvida, basta visitar um show room para perceber a diferença – o som personalizado e automatizado é certamente o máximo da experiência de sonorização que você pode obter.

Gostaria de ter um projeto de som residencial exclusivo? Fale conosco! Nossa equipe de especialistas está pronta para te ajudar!
Som Ambiente

Comentários

Siga

Inscreva-se

Adicione seu e-mail aqui e receba as
novidades Kosten-haus em primeira mão.

Fale conosco

Preencha esse formulário e
em breve entraremos em contato

Formulário